imagem-destacada-9-de-10-consultas-medicas-sao-geradas-por-estresse

9 de 10 consultas médicas são geradas por Estresse!

Você sabia disso? Ou seja, 90% da população quando vai a uma consulta médica acaba tendo como fator desencadeador da consulta uma fonte estressora.

Isto quer dizer que mesmo os distúrbios que aparentemente são oriundos somente por outros desequilíbrios orgânicos são gerados em algum nível, por acúmulo de estresse negativo ou incapacidade em lidar como o estresse na vida diária.

E, por falar nesta expressão-chave (vida diária), os Drs. Marcelo Anselmo e Fabio Romano trazem um tema muito relevante e que se configura como o real antídoto para controlar este números a partir do Seminário em nossa programação, RelaxaMente: A simbiose do equilíbrio frente às PVDs (Pressões da Vida Diária)”. E você? Já se inscreveu nesta nossa Jornada Transformadora de Estilo de vida 100% online e 100% gratuita?

imagem-destacada-23-de-setembro-relaxe-neste-dia-de-prevencao-ao-estresse

Relaxe, neste Dia de Prevenção ao Estresse

Hoje é um dia muito especial! Dia de você compreender que não conseguimos acabar com o estresse, mas, sim, gerenciá-lo melhor.

Neste 23 de setembro é comemorado o Dia Nacional de Prevenção e Combate ao Estresse. Uma data que cada vez ganha mais notoriedade devido aos impactos do estresse na sociedade, gerando ou intensificando diversas doenças crônicas (como hipertensão arterial, diabetes, obesidade, depressão e diversas outras).

É necessário que você entenda que o estresse pode ser dividido em dois tipos: o positivo (capaz de tornar mais concentrados e dispostos para realizarmos uma tarefa a qual temos expectativa) e o negativo (este sim nocivo para o equilíbrio da mente e do corpo, sendo o tipo de estresse mais conhecido pela sociedade).

Praticar exercícios físicos, ter uma alimentação equilibrada, dormir bem são alguns fatores que auxiliam a termos maior equilíbrio no nosso cotidiano e reduzir as fontes estressoras diárias. Nesse sentido, recomendamos que você veja alguns vídeos do nosso episódio do “Canal do Conhecimento em Saúde – A sintonia da saúde vital”, onde o Prof. Dr. Marcelo Anselmo entrevista diversos especialistas do segmento da saúde e bem estar.

Slackline, Tai Chi Chuan e Pilates são algumas de nossas entrevistas que ajudarão você a controlar melhor as fontes estressoras. Aproveite e relaxe, pois você merece! Confira mais em: http://www.plenitudebemestar.com.br/videos

Design sem nome (5)

Que tal colher a salada do quintal? Saiba como fazer uma horta orgânica!

Neste post vamos dar mais algumas dicas infalíveis, retiradas do material de apoio à agricultura orgânica familiar da EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), para você conseguir plantar tomate, cebola, pimenta e pimentão, cenoura, beterraba, berinjela e cheiro-verde, entre outras hortaliças, em sua casa!

Claro que esses vegetais precisam de mais espaço do que as ervas menores, como manjericão, hortelã, alecrim, erva cidreira e outras ervas aromáticas que podem ser plantadas em vasos e pequenos canteiros. Se você tiver um bom quintal com espaço de terra, ter um terreno baldio na vizinhança, ou, se morar em prédio, sugerir na reunião de condomínio utilizar um espaço do jardim, consegue ter uma boa hortinha!

Preparação, adubação e plantio

Os canteiros são elevações na terra, com cerca de meio palmo (11 cm) de altura, com 1,20 m de largura na base e 1 m de largura no topo. Eles devem ser feitos com um enxadão e sulcador e a terra deve ficar bem solta para receber as sementes. A elevação é muito importante para escoar a água, pois se a terra ficar muito úmida a planta pode crescer com doenças. Nos canteiros podem ser plantadas as folhas, como alface, almeirão e chicória, os cheiros-verdes (salsinha, cebolinha e coentro), cenoura e beterraba. Tomate, pimentão, pimentas, cebola e batata doce devem ser plantados em canteiros mais estreitos e altos, com um palmo de altura e cerca de 60 cm de largura. Eles devem ser regados uma vez por dia, de manhã cedo ou à tardinha, com cuidado para não encharcar muito o solo.

A adubação depende de fatores como o pH e a salinidade do solo. Mas você pode fazer sua própria terra adubada e fértil, misturando metade de terra vegetal comprada em lojas de jardinagem com metade de húmus de minhoca, que pode ser seu próprio húmus produzido na composteira. Para dar mais um “gás”, adicione a cada dez litros do composto 300 g de superfosfato simples e 30 g de cloreto de potássio, também encontrados em lojas especializadas. O composto adubado deve ficar 15 dias “curtindo” antes do plantio.

Controle de Pragas

Não tem jeito, quando crescerem os suculentos legumes e folhas vão atrair insetos e outros animais que vão atacar as plantas, e elas também podem sofrer com doenças provocadas por microrganismos e ter o crescimento prejudicado pela presença de ervas daninhas. Pequenos ataques de pragas e doenças são comuns, mas se o problema se alastrar existem diversos métodos e cuidados para controlar as pragas e doenças sem precisar apelar para os perigosos agrotóxicos.

A principal causa de doenças é a umidade, por isso é muito importante não regar demais as plantas, e na época de chuvas é bom cobrir os canteiros e plantas com um plástico transparente. Quando você perceber que uma folha foi atacada por alguma doença, arranque as partes atingidas imediatamente e as queime ou enterre para o problema não passar para o resto das plantas.

As pragas podem ser insetos e outros pequenos animais ou ervas daninhas, e existem muitos métodos caseiros eficazes para evitar que eles ataquem suas plantas. Uma dos mais comuns são as lagartas, que adoram comer as folhas. Elas e seus ovos precisam ser constantemente catados e esmagados. Para evitar os insetos voadores, coloque uma lâmpada ou lampião acima de uma bacia com água ou óleo queimado. À noite, eles vão ser atraídos pela luz, cair na bacia e morrer. As lesmas e a lagarta-rosca (que se esconde na terra durante o dia), podem ser combatidas colocando um saco plástico molhado ao lado dos canteiros. Elas vão se esconder embaixo dos sacos à noite e de manhã é só mata-las.

Para combater os pulgões, ácaros e conchonilas, pequenos insetos parasitas das plantas, uma solução muito utilizada é a calda de fumo de corda com água de sabão. É só picar bem 20 cm de fumo de corda e deixar de molho por 24 horas em meio litro d’água. Enquanto isso, misture uma colher de sopa de sabão em barra raspado em meio litro d’água e misture até dissolver. Coloque ambas as soluções em vidros com tampa e identificados com rótulo. Na hora de aplicar, coloque cinco colheres de sopa da calda de fumo em um litro d’água e misture com um litro da água de sabão, e regue as plantas com esse líquido, molhando bem, principalmente por baixo das folhas, de preferência com um pulverizador.

De resto, é só manter a horta sempre limpa, arrancando as ervas daninhas, e regar diariamente. Uma dica pra economizar água na rega é usar um sistema de gotejamento com garrafas PET. É só furar a tampa de uma garrafa PET de dois litros, fazer um ou dois furinhos na tampa com um prego, encher a garrafa, tampar e enterrar de cabeça pra baixo perto das plantas, deixando apenas o gargalo debaixo da terra. A água vai sair aos poucos e manter a terra em volta da planta molhada. Também é preciso tomar cuidado com o sol, ele é importante para as plantas mais em excesso pode prejudicial. Em épocas de muito sol é preciso fazer um jirau para cobrir as plantas com plástico preto ou de preferência sombrite, uma tela preta encontrada em lojas especializadas.

Manter uma horta com muitas hortaliças crescendo saudáveis não é tarefa das mais fáceis, mas é possível sim! E fica mais fácil quanto mais gente tiver para ajudar. Convoque a família e os vizinhos para auxiliarem na tarefa e mãos à obra! A satisfação de saborear verduras, frutas e legumes fresquinhos e livres de agrotóxicos, direto da horta, vale a pena!